top of page

Portfólio SOFT MILHO

 

Curso: Ciências Econômicas

 

Semestre: 7º / 8º

 

Situação Geradora de Aprendizagem (SGA)
O Brasil deverá colher um volume recorde de milho na temporada 2021/22, estimado nesta
quinta-feira, 8, em 115,6 milhões de toneladas, de acordo com levantamento da Companhia Nacional
de Abastecimento (Conab), que revisou para cima em mais de 3 milhões de toneladas o dado ante a
projeção de março, com bom desenvolvimento das lavouras de segunda safra.
“As perspectivas de aumento da produtividade estão presentes na maioria dos estados.
Somente Minas Gerais e Goiás geram alguma preocupação devido à redução das precipitações
ocorridas após a primeira quinzena de março e ao plantio de uma pequena parte das áreas fora da
janela ideal”, afirmou a Conab em relatório.
Segundo a estatal, “houve um aumento significativo da área semeada devido aos preços
convidativos do mercado e à antecipação do plantio da soja, que permitiu uma janela mais ampla e
favorável para a implantação da lavoura (de milho de inverno)”.
A área semeada na segunda safra deve alcançar cerca de 16 milhões de hectares, 7%
superior à temporada anterior. Dessa forma, a Conab reviu a projeção de safra total de milho, que
até o mês passado era estimada em 112,3 milhões de toneladas. Agora a estimativa é de aumento
anual de 32,7%.
A segunda safra, com plantio praticamente finalizado, está estimada em 88,5 milhões de
toneladas, alta de 45,8% ante a temporada anterior, que foi afetada por seca e geadas. Com maior
oferta, a Conab elevou a previsão de exportação de milho do Brasil 2021/22 para 37 milhões de
toneladas, 2 milhões acima do número de março e quase o dobro do visto na temporada anterior.
Além disso, elevou a previsão de consumo de milho no Brasil 2021/22 para recorde de 77,2 milhões
de toneladas, ante 76,5 milhões na projeção anterior.
Fonte: Conab eleva previsão de produção e exportação do milho brasileiro. Disponível em:
<https://www.novacana.com/n/milho/conab-eleva-previsao-producao-exportacao-milhobrasileiro-080422&gt; Acesso em Junho de 2022.

Diante desse cenário, o estudo desta atividade está centrado na análise da cooperativa
agroindustrial
“SOFT MILHO” (caso hipotético). A empresa possui 30 anos de existência, iniciando suas
atividades em 1998 no interior do estado de São Paulo. Atualmente a “SOFT MILHO” possui mais de
4 mil cooperados, sendo que 60% deles são pequenos produtores que vivem da agricultura familiar.
Pensando em diversificar seus negócios, a “SOFT MILHO” possui projetos para
comercialização de outros produtos, como café, fábrica de ração, laboratório para análise do solo,
entre tantos outros investimentos.
Como você pode perceber, as perspectivas para o negócio da cooperativa são boas, visto
que a sua receita operacional cresceu à taxa de 20% ano e o lucro líquido à taxa de 25%. Como os
resultados financeiros e operacionais estão prosperando, a diretora executiva da cooperativa tem
desenvolvido estratégias para manter a sustentabilidade empresarial.
Situação-problema:
Cabe destacar que a “SOFT MILHO” ainda não exporta a laranja dos cooperados, sendo a
comercialização totalmente regional. Desse modo, a cooperativa está desenvolvendo um novo plano
estratégico e levantaram a possibilidade de investir na expansão dos negócios, uma vez que o
mercado nacional já demonstra sinais de recuperação econômica e o mercado internacional está se
tornando cada vez mais atraente, sendo o Brasil, o maior produtor mundial de laranja e exportador
de suco da fruta. No entanto, os gestores da cooperativa desconhecem o comércio exterior, e
possuem algumas resistências quanto a execução dessa estratégia e realizam os seguintes
questionamentos:
• Quais as vantagens e desvantagens da atual estrutura produtiva da cooperativa e como
impacta no projeto de expansão para o comércio internacional?
• Como o comércio internacional pode alavancar os negócios da cooperativa?
• Como a cooperativa pode se proteger das oscilações dos preços no mercado internacional?
O seu objetivo é ajudar a “SOFT MILHO” a encontrar respostas para esses questionamentos
e assim, continuar o desenvolvimento do plano estratégico da organização.

Em tempos atuais, com a grande concorrência e globalização econômica, as empresas para
aumentarem sua participação de mercado “Market-Share” (bem como para maximizarem seus
lucros), procuram por estratégias que possam oferecer ao consumidor uma “cesta” com produtos e
serviços diferenciados.
No entanto, isso vai depender da estrutura de mercado no qual a empresa participa. Desse
modo, surge diversas estruturas de mercado que podem definir a forma de atuação dos negócios,
seja ele nacional ou internacional.
A “SOFT MILHO” opera em um mercado imperfeito, que possui poucas empresas
controlando o setor, opera em economia de escala e possui concorrentes focadas em qualidade e
processos organizacionais e, não em preço. Deverá analisar e revisar seus planos operacionais e
estratégicos de expansão, visto que, a nova dinâmica de comércio entre o Brasil e os seus parceiros
comerciais vem oportunizando novas possibilidades.

Passo 1
Nesse momento, você deverá preencher o quadro abaixo com a descrição das principais
características das empresas participantes para cada estrutura de mercado existente, logo após o
preenchimento, identificar em qual estrutura de mercado se enquadra a “SOFT MILHO” e na
sequência elabore um relatório identificando e explicitando as características da empresa,
ponderando suas fraquezas e potencialidades.

Estrutura Número de
firmas
Tipo de
produto
Acesso de
novas
empresas ao
mercado
Controle de
Preços
Exemplos
(aproximados)
Concorrência
Perfeita
Monopólio
Concorrência
Monopolística
Oligopólio

Passo 02
As teorias clássicas mais conhecidas no comércio exterior são: a teoria das vantagens
absolutas, proposta pelo filósofo Adam Smith e a teoria das vantagens comparativas, formulada pelo
economista David Ricardo. Tais teorias, formam a base das estratégias e negociações internacionais
que buscam o equilíbrio na balança comercial, uma vez que, impacta na economia de um
determinado país, gerando ganhos -superávit ou perdas – déficit.
Diante de tal afirmação, é importante ressaltar que no plano estratégico da SOFT MILHO, há
projetos para comercialização de outros produtos, como café, fábrica de ração, laboratório para
análise do solo, entre tantos outros investimentos. Dessa forma é importante conhecer as
teorias que tratam sobre como o comércio internacional, importação e exportação que impactam na
economia de um determinado país, geram ganhos -superávit ou perdas – déficit.

Portfólio SOFT MILHO

R$ 0,00Preço

Via WhatsApp

  • Disponível via WhatsApp (49) 9 9808 8400

Portfólio SOFT MILHO

R$ 100,00Preço
  • Completo pronto para ser enviado.

123.png
bottom of page