top of page

A proposta de Produção Textual Interdisciplinar Individual (PTI) terá como temática 
“Cooperativa SÓ CAFÉ”. Escolhemos esta temática para possibilitar a aprendizagem interdisciplinar 
dos conteúdos desenvolvidos nas disciplinas desse semestre. 
Na atividade de produção textual, você deverá seguir as instruções e questionamentos 
relacionados a cada disciplina estudada no semestre, a fim de elucidar e resolver a situação-problema 
(situação geradora de aprendizagem– SGA) proposta.  

 

Situação Geradora de Aprendizagem (SGA) 
O Brasil é um dos principais países produtores e exportadores de café, uma vez que o país 
tem uma produção superior a 32% da produção mundial deste produto e, além de ser o maior 
exportador no mercado internacional segundo dados da EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa 
Agropecuária).  
A produção de café tem um espaço relevante no agronegócio brasileiro no que tange geração 
de renda e riquezas. A produção cafeeira já foi um dos principais motores e pilares da economia no 
século XX, visto o modelo agroexportador da década de1930 e a representação desta produção na 
pauta de exportação até a década 1960. 
As projeções para o café são positivas para os próximos anos (2024/2025), uma vez que se 
estima um crescimento de 21% para a produção, para o consumo 30,7% e 22,7% para as exportações. 
Logo, projeta-se um crescimento anual de 2,2% para as exportações, 2,0% para a produção e 2,6% 
para o consumo. (MAPA, 2015). 
Diante deste contexto, o estudo desta atividade está centrado na análise da cooperativa 
agroindustrial “SÓ CAFÉ”. A empresa tem 30 anos de existência, iniciando suas atividades em 1986 
no interior do estado do Paraná com apenas 25 cooperados.  
Atualmente a “SÓ CAFÉ” possui mais de dois mil cooperados, sendo que 85% deles são 
pequenos produtores que vivem da agricultura familiar, que recebem café em mais de 100 
municípios na sua área de ação no Paraná e São Paulo. Pensando em diversificar seus negócios, a "SÓ 
CAFÉ” possui projetos como torrefação própria, auxílio na produção e comercialização de outros 
produtos, como milho, fábrica de ração, laboratório para análise do solo, entre tantos outros 
investimentos. 
Assim, a cooperativa “SÓ CAFÉ” tem uma produção cada vez mais vertical, isto é, as principais 
atividades produtivas são desenvolvidas pela empresa para gerar seus produtos finais. Os principais produtos da “SÓ CAFÉ” para comercialização são café torrado e moído que representam cerca de 90% da receita operacional e, além disso, são fabricados outros produtos derivados do café. O principal gargalo produtivo está no processamento, uma vez que a unidade industrial está próxima da sua capacidade máxima e, tal fato pode comprometer o crescimento da cooperativa para os próximos anos. Desta forma, a diretoria executiva da cooperativa está estudando um projeto de investimento para ampliação da área de processamento. Como você pode perceber, as perspectivas para o negócio da cooperativa são boas, visto que a sua receita operacional cresceu à taxa de 16% ano e o lucro líquido à taxa de 10%. Como os resultados financeiros e operacionais estão prosperando, a diretora executiva da cooperativa tem desenvolvido estratégias para manter a sustentabilidade empresarial. Assim, a cooperativa “SÓCAFE” tem uma produção cada vez mais horizontal. Os principais produtos da “SÓCAFE” para comercialização são café in natura, torrado e moído que representam cerca de 90% da receita operacional e, além disso, são fabricados outros produtos derivados do café. Deste modo, o seu objetivo é auxiliar a diretoria executiva a tomar uma decisão que venha garantir a sustentabilidade empresarial da agroindústria, isto é, crescimento continuo da produção, receitas e lucro à longo prazo e, logo garantir a valorização da organização como um todo.

Passo 01: Subsídios para cooperativa 
 
Uma das responsabilidades da Cooperativa “SÓCAFE” é buscar oferecer uma garantia aos seus 
produtores associados contra a queda dos preços do produto. Sabe-se que o custo médio de 
produção do café para o produtor foi de U$ 80 a saca. A margem comercialização necessária para 
produtor e para a cooperativa é de U$ 28,00 por saca. Portanto, o objetivo de preço futuro da 
cooperativa é de U$ 108,00 a saca. Seu produto normalmente é adquirido por empresas 
intermediarias a agroexportadora, nesse contexto temos a ExportCafé, especializada na exportação 
dessa commodity, a agroexportadora fechou hoje um contrato de exportação para entrega do café 
daqui a 3 meses, e tem como objetivo proteger contra uma eventual alta de preços do produto.  O 
valor do contrato de exportação é de U$ 150,00 por saca. A margem de comercialização necessária 
para esta firma manter a sua lucratividade é de U$ 42 por saca. Portanto, o objetivo de preço futuro 
da exportadora é de U$ 108,00. 
Na BM&F, o contrato de café, para vencer daqui a 3 meses, está sendo negociado hoje para 
um preço futuro de U$ 108,00/sc. Assim, para garantir o preço futuro de U$ 108,00/saca é 
interessante tanto para a cooperativa como para a firma exportadora, fazer o hedge na BM&F.  
A cooperativa vai à sua corretora e lança uma ordem de venda de um contrato de café para 
daqui a 3 meses por U$ 108,00/saca. Já a exportadora vai à sua corretora e lança uma ordem de 
compra de um contrato de café para daqui a 3 meses por US$ 108,00/saca. As respectivas ordens 
vão para pregão na BM&F, onde, através dos operadores, ocorre o negócio, que é “compensado” e 
garantido pela Bolsa. 
...

 

Portfólio Cooperativa SÓ CAFÉ

R$ 100,00 Preço normal
R$ 50,00Preço promocional
  • Envio Imediato

     Ciências Econômicas Semestre: 6º/5º

123.png
bottom of page